quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Romance e textura



A vida e sua mania de descabelar verdades tão bem arrumadas.Ingênuas verdades.Tudo que se pedia era uma dose forte de história e de sofrimentos.Sim, a gente acha que amor de verdade é aquele que tem sofrimento, dores, magoas, e lagrimas, muitas lagrimas.Nem sempre.Ultimamente as doses vem vindo mais leves e nem por isso deixam de ser romance.São romances mais serenos,mais maduros, não mais intensos, a intensidade tem costume de machucar.O tal do conto de fadas sem ser aqueles da Disney ainda existem sim.É só saber interpretá-los.Alguns ciumes menos possessivos mas tão verdadeiros como os antigos.Os antigos se tratava mais de amor próprio do que amor pelo outro, já agora, é outro, outro ciúme.Incrível como os sentimentos, mesmo tendo o mesmo nome consegue vir de variadas formas.Sem planejamentos, sem necessidade de promessas e de felizes para sempre.Tudo flui de uma forma suave e nem por isso deixa de ter magia.Os romances mudaram de textura, de cor e formato. E tem vindo muito bem,obrigada.

Bárbara Cristina

Um comentário:

Verbo a pulsar disse...

De uma leveza sem igual.